CONTINUAR A COMPRAR

O seu carrinho está vazio

PORTES GRATUITOS

Em Portugal Continental, para mais de 50eur (-5kg)

ENCOMENDAS EM 24h

Em Portugal Continental, para encomendas até ás 15h

A TOMA DE UM ANTIBIÓTICO REDUZ A EFICÁCIA DA PÍLULA?

O antibiótico pode diminuir a eficácia da pílula?

Esta é uma das perguntas mais frequentes quando uma mulher chega à farmácia com uma receita médica de um antibiótico e está a tomar um contraceptivo oral.

Em primeiro lugar, se o médico lhe receitou um antibiótico é essencial que o tome de forma mais adequada. Assim sendo, deve fazer o tratamento até ao fim da embalagem (mesmo que se sentir melhor), nas doses e intervalos de hora que o médico lhe indicou.

Se toma outros medicamentos, deve estar atenta para alguns cuidados especiais, pois os antibióticos podem interagir com certos medicamentos ou suplementos. No entanto, nunca deve deixar de tomar o antibiótico receitado pelo médico. Deve sim, informar-se com o seu farmacêutico sobre os cuidados e preocupações adicionais ao seu caso.

Será que a toma de um antibiótico reduz mesmo a eficácia da pílula?

Na verdade, as evidências científicas demostraram que os antibióticos mais comuns não interferem de forma direta com a eficácia da pílula, exceto a rimfapicina e a rifabutina, utilizados no tratamento da tuberculose.

No entanto, de forma indireta, há algumas evidências que podem existir situações que têm algum impacto na eficácia da pílula, uma vez que o antibiótico mata ou inibe as bactérias, mas, ao contrário do que poderia pensar, não atua apenas nas bactérias responsáveis pela doença, atua também nas bactérias que constituem a flora intestinal. A flora bacteriana intestinal é uma barreira natural do nosso organismo, e quando é perturbada reduz a capacidade de absorção do intestino, o que pode provocar vómitos ou diarreia. Como tal, alguns antibióticos podem alterar a flora intestinal do nosso organismo e, desta forma, interferir com a absorção da pílula a nível intestinal (impedindo que seja absorvida a quantidade necessária para a sua eficácia), o que pode implicar uma nova toma da mesma. Assim, por segurança, é recomendada a utilização de um método contraceptivo adicional, como o preservativo, durante o tempo da toma do medicamento e nos 7 dias posteriores.

No entanto, deve manter-se atenta a outros medicamentos que podem reduzir o efeito da pílula, como: diuréticos, antiepiléticos e anticonvulsivantes, antirretrovirais e antifúngicos; assim como alguns produtos naturais (exemplo: hipericão). Sempre que adquirir algum medicamento ou produto de saúde, informe-se com o seu farmacêutico sobre os mesmos.

Voltar