CONTINUAR A COMPRAR

O seu carrinho está vazio

PORTES GRATUITOS

Em Portugal Continental, para mais de 50eur (-5kg)

ENCOMENDAS EM 24h

Em Portugal Continental, para encomendas até ás 15h

DIGA 'ADEUS' À SECURA VAGINAL!

Hidrata a sua zona íntima com a mesma frequência que hidrata o seu rosto ou corpo?

O que é a secura vaginal?

O corrimento diário da vagina da mulher protege as paredes vaginais e mantem a elasticidade e a lubrificação deste órgão. A secura vaginal caracteriza-se pela ausência ou baixa lubrificação natural da vagina, causando desconforto e comichão, e afetando o dia-a-dia da mulher, podendo também causar dor durante a relação sexual. Embora seja mais frequente na menopausa, devido à alteração hormonal, a secura também pode acontecer em mulheres jovens, especialmente quando utilizam anticonceptivos orais.

Quais os sintomas de secura vaginal?

Os sinais e sintomas mais presentes indicativos de secura vaginal são:

  • sensação de ardor, prurido e comichão – que podem surgir devido ao uso de determinada roupa interior ou produtos de higiene cujo pH possa provocar alterações na mucosa vaginal;
  • sensação de dor durante as relações sexuais – de tal forma que sinta necessidade de interromper o ato;
  • aparecimento de pequenas lesões nas paredes vaginais – causadas por qualquer tipo de atrito e pela falta de lubrificação;
  • ausência do corrimento vaginal – mais frequente nas mulheres na menopausa.

É importante consultar o seu médico ou farmacêutico para que este o possa aconselhar!

Porque ocorre a secura vaginal?

São inúmeras as causas que podem provocar secura vaginal afetando a vida da mulher e muitas vezes as relações sexuais com o seu companheiro.

Algumas delas são:

  • a toma de alguns medicamentos como ansiolíticos, antidepressivos, entre outros, que podem secar as mucosas em geral, entre as quais a mucosa vaginal;
  • distúrbios hormonais que impliquem uma oscilação dos níveis de estrogénio, levando ao desconforto durante o ato sexual;
  • a ausência ou escassez de relações sexuais durante longos períodos de tempo, levando à falta de excitação, tão importante para potenciar a lubrificação da vagina;
  • infeções vaginais ou urinárias que provoquem algum desequilíbrio na flora vaginal;
  • a gravidez e o aleitamento materno, podem provocar desregulações hormonais;
  • menopausa que, como fase de mudança hormonal na vida da mulher, provoca uma diminuição do estrogénio no seu organismo e, consequentemente, pode provocar secura vaginal.

Como se pode combater a secura vaginal?

  1. A primeira opção de tratamento recomendada pelo ginecologista consiste em cremes que aumentem a lubrificação natural, existindo dos tipos diferentes:
  • Cremes com baixa dose de estradiol: são cremes hormonais que estimulam a lubrificação natural da mulher, através do efeito do estrogénio e, por isso, são mais eficazes que os hidratantes;
  • Cremes hidratantes vaginais: são cremes não hormonais que contém elevada percentagem de água e por vezes ácido hialurónico, criando uma camada lubrificante e protetora da flora vaginal que se mantém por alguns ou dias. Estes permitem uma hidratação imediata e prolongada, reduzindo o ardor e o prurido, e aumentam a elasticidade da mucosa vaginal proporcionando um pH vaginal o mais próximo da normalidade. Woman Isdin Hidratante Vulvar®, Durex Sensilube®, Durex Gel Íntima Protect®, Vasigan Creme Hidratante® são algumas sugestões de cremes hidratantes que a podem ajudar.
  • Lubrificantes: estes atuam somente na diminuição do atrito momentâneo. São utilizados antes da relação sexual aliviando o desconforto da secura vaginal e a dor durante o contacto íntimo. Podem ser à base de água, silicone ou óleo. Tem várias opções como Durex Natuals®, Durex Sensilubi KY®, Durex Gel Íntima Protect®.

Alguns cremes podem ter o efeito 2 em 1 e sejam hidratantes e lubrificantes, podendo ser usados no dia-a-dia como hidratantes mas também antes da relação sexual como lubrificantes.

2. Deve restringir a sua higiene íntima a duas vezes ao dia, utilizando um gel de higiene íntima com propriedades hidratantes e que permita manter o pH fisiológico.

3. Evite o uso de roupas demasiado apertadas, dando preferência por roupa interior de algodão.

Voltar