CONTINUAR A COMPRAR

O seu carrinho está vazio

PORTES GRATUITOS

Em Portugal Continental, para mais de 50eur (-5kg)

ENCOMENDAS EM 24h

Em Portugal Continental, para encomendas até ás 15h

FRIEIRAS NO INVERNO?!

O frio chegou e veio para ficar!

Com a exposição ao frio e a grandes diferenças de temperatura, frequentemente surgem as frieiras. São um problema típico no inverno, que geralmente afeta as extremidades do corpo por estarem mais dispostas a uma circulação sanguínea insuficiente.

Afinal, o que são as frieiras?

As frieiras são uma inflamação dos vasos sanguíneos existentes à superfície da pele, como resposta anormal ao frio. Na sua origem está uma contração excessiva dos pequenos vasos sanguíneos existentes à superfície da pele como reação ao frio, dificultando a chegada do fluxo sanguíneo às extremidades do corpo. Depois da contração, sucede-se uma recuperação da temperatura da pele, provocando uma rápida expansão dos vasos sanguíneos, que leva a um congestionamento da circulação.

As frieiras atingem, tipicamente, as extremidades do corpo – dedos das mãos e dos pés, orelhas e nariz.

Por norma são passageiras, desaparecendo ao fim de cerca de 3 semanas, e sem deixar qualquer sequela. Ainda assim, pelo desconforto que podem causar, o ideal é prevenir o seu aparecimento.

Quais os sintomas/manifestações das frieiras?

  • Inchaço;
  • Dor;
  • Comichão por vezes intensa;
  • Sensação de queimadura;
  • Alterações na cor da pele (que pode adquirir uma tonalidade azulada);
  • Bolhas.

Quais são os fatores de risco?

As causas das frieiras não estão totalmente conhecidas, no entanto alguns fatores de risco ou circunstâncias podem contribuir para o seu aparecimento, tais como:

  • Peso abaixo do recomendado para a estatura;
  • Consumo de tabaco, pelo seu efeito prejudicial na circulação sanguínea e na cicatrização das feridas;
  • Contato prolongado com água fria ou manipulação de gelo e produtos congelados;
  • Sujeitar-se a diferenças de temperatura acentuadas num curto espaço de tempo;
  • Uso de roupas e calçado muito apertado ou que dificulte a circulação sanguínea, e que não proteja do frio e humidade;
  • Doenças que alterem a percepção da temperatura corporal e sensibilidade, como a diabetes;
  • Doenças que condicionem alterações do fluxo sanguíneo nas extremidades (por exemplo Lupus ou Doença de Raynaud);
  • Viver em locais com clima frio e húmido;

Como prevenir e tratar as frieiras?

A melhor abordagem começa sempre pela prevenção. A terapêutica de primeira linha consiste em adotar medidas para minimizar a exposição ao frio e manter a área afetada aquecida:

  • Mantenha a pele bem hidratada. As loções hidratantes podem ajudar a aliviar o desconforto e a comichão. Por exemplo a AKILHIVER© CREME FRIEIRAS, é um produto excelente para as frieiras;
  • Evite a exposição ao frio e outras agressões externas, como lavar muitas vezes as mãos com água fria ou usar detergentes;
  • Mantenha a pele afetada seca e quente. Não utilize roupa ou calçado apertados. Opte por peças de roupa de lã;
  • Evite o contacto direto com fontes de calor, como a lareira ou aquecedor;
  • Evite fumar ou beber café, uma vez que estes contribuem para a constrição dos vasos sanguíneos, o que poderá agravar ainda mais o problema;
  • Pratique regularmente exercício físico;
  • Se for recorrente o aparecimento de frieiras todos os anos, pode fazer um suplemento à base de ginkgo biloba, que vai melhorar a circulação sanguínea e aliviar a sensação de pés e mãos frios. O ABSORVIT© GINKO+B1, poderá ser uma boa solução.

No entanto, se a pele começar a ficar esbranquiçada, pálida ou com bolhas, ou se começar a sentir dificuldades motoras na mobilidade, dor intensa ou febre, deverá consultar um médico.

Voltar